Posts

Doorway Effect

Doorway Effect e falta de colaboração em ambientes abertos.

O que a Neurociência, a Neuroarquitetura e a Psicologia têm a dizer que nos ajude a ligar os pontos e entender por que o open-office diminui a interação entre os funcionários.

Ethan Bernstein, professor de comportamento organizacional da Harvard Business School, divulgou um artigo defendendo que o open office diminuía em 70% a interação dos funcionários.

“Percebi que a pesquisa tinha uma boa metodologia, foi bem executada e ajudou a responder um longo debate com sociólogos que argumentavam que remover as baias iria aumentar colaboração, enquanto a psicologia social dizia o contrário”, disse. “O que não ficou claro naquele estudo foi a razão do open office diminuir a colaboração entre os funcionários que estão em um mesmo espaço físico”.

Fonte: https://valor.globo.com/carreira/noticia/2019/11/29/por-que-o-open-office-diminui-a-interacao-entre-os-funcionarios.ghtml

Bem, eu tenho uma teoria sobre uma parte dessa pesquisa e suas descobertas. Mas, primeiro, quero compartilhar com você uma inquietação e uma percepção de psicóloga e estudiosa das Neurociências desde 1982!

A inquietação é: Por que será tão difícil compreender que a Ciência que estuda o coletivo, erra em previsões sobre o indivíduo? 🤔 

A percepção/hipótese é: Talvez seja o mesmo motivo pelo qual nem tudo que a Neurociência afirma possa efetivamente ser aplicado ao que a Psicologia afirma/sabe.

A Neurociência estuda as partes e isso é mais que importante; é bem vindo. Mas o indivíduo é mais que suas partes… Percebe?

FONTE: https://www.todamateria.com.br/cerebro/

Enfim, vamos à minha teoria.

Premissa nº 1: Doorway Effect é algo que você conhece extremamente bem ainda que, possivelmente, não saiba o nome. São esses esquecimentos instantâneos que ocorrem quando a gente sai de um cômodo pra entrar em outro em busca de algo e esquece o que era. Sim, sim; pode respirar aliviado/a. Todo mundo tem isso 😊 Você não é uma Dory 😊

Fonte da imagem: Giphy

Em 2011, pesquisadores do Departamento de Psicologia da Universidade de Notre Dame, nos USA, descobriram que isso acontece com todo mundo, de vez em quando, por conta de que nosso cérebro interpreta a passagem de um cômodo para outro como um ponto de corte, que interrompe os dados que carregávamos na memória de trabalho. Possivelmente por causa da necessidade cerebral de criar um novo contexto em um ambiente diferente.

Ao entrarmos no cômodo novo, o cérebro coloca sua atenção em questões relacionadas à consciência espacial, à memória e ao movimento por que nosso corpo ou nossa noção de espaço são mais importantes do que a ação que iríamos realizar. Ela pode ser recuperada de forma relativamente fácil. Já a perda da noção de espaço nos assustaria muito mais e ainda poderia causar algum estrago como uma batida numa quina de pé de mesa – função para a qual o dedinho do pé existe e, não, isso não é uma teoria.

“Uma grande empresa de software descobriu que 90% das interações cara a cara aconteciam nas mesas das pessoas. Apenas 3% ocorreram em áreas comuns e o restante ocorreu em salas de reuniões. Isso foi suficiente para ela começar a rever as necessidades de suas áreas comuns”, escreveram.

Outra empresa descobriu um “pequeno ajuste” que fez grande diferença: lousas brancas em áreas abertas aumentaram 50% as interações nas reuniões. Outra conclusão é que funcionários devem estar no mesmo andar para colaborar mais. Prédios próximos ou pisos adjacentes não ajudam muito a integrar pessoas de um mesmo time ou que precisam de mais interação em determinado momento e projeto”.

Fonte: https://valor.globo.com/carreira/noticia/2019/11/29/por-que-o-open-office-diminui-a-interacao-entre-os-funcionarios.ghtml

Sobre isso de deverem estar no mesmo andar pra colaborar mais, pense um pouco, a pessoa sai da mesa dela pra pedir ou oferecer algo a partir de uma ideia que teve; muda de ambiente para comunicar isso ao colega de trabalho e PAM! Doorway Effect! Ela, então, volta, pra sua mesa e retoma o que estava fazendo. Foi-se o momento.

Outra coisa que merece um destaque – e onde a Sociologia não alcançou ver – é que se eu estou vendo você trabalhar, não vou interromper pra conversar, certo? Vou preferir mandar uma mensagem que pode ser acessada quando você estiver disponível. Ainda mais em tempos onde ligar, sem pedir antes via WhatsApp ou outro meio escrito, é considerado deselegante e invasivo. Pode haver uma agravante, inclusive, eu posso já ter te interrompido alguma vez e ter percebido uma expressão de desagrado, ainda que mínima, no seu rosto, pela interrupção.

O que a pesquisa diz sobre isso é que em espaços abertos, criamos uma quarta parede – como no cinema – e, consequentemente, nos isolamos; não interagimos.

” Por essa razão, o open office aumenta o engajamento digital, defendem os professores, não o presencial“.

E o que a Neuroarquitetura tem a ver com tudo isso? É ela que estuda e realiza a melhor forma de recriar espaços para que resultados comportamentais possam ser obtidos. É por isso que ela tem tudo a ver com isso. 😉

Playlist de vídeos sobre o Cérebro

Playlist do meu canal no Dailymotion com documentários sobre o Cérebro.

Para assistir clique AQUI.

[NEUROAPRENDIZAGEM] Nosso cérebro – animado

Excelente vídeo de animação com explicações suscintas e muito bem embasadas sobre o nosso cérebro.

É a Neurociência simplificada.

 

https://vimeo.com/124152768